THE PUTIN INTERVIEWS


The Putin Interviews
by Oliver Stone (
FULL VIDEOS) EN/RU/SP/FR/IT/CH


http://tributetoapresident.blogspot.com/2018/07/the-putin-interviews-by-oliver-stone.html




Monday, 18 June 2018

PT -- Manlio Dinucci -- A Arte da Guerra -- Circuito da Morte no «Mediterrâneo Alargado»



A Arte da Guerra

 Circuito da Morte no «Mediterrâneo Alargado»

Manlio Dinucci


Os holofotes político-mediáticos, concentrados nos fluxos migratórios Sul-Norte, através do Mediterrâneo, deixam outras deslocações na sombra: as movimentações do Norte para o Sul, das forças militares e das armas, através do Mediterrâneo. Com efeito, através do "Mediterrâneo alargado", uma área que, no âmbito da estratégia USA/NATO, se estende do Atlântico ao Mar Negro e, para sul, em direcção ao Golfo Pérsico e ao Oceano Índico.

No encontro com o Secretário Geral da NATO, Stoltenberg, em Roma, o Primeiro Ministro Conte, salientou a “importância do Mediterrâneo alargado para a segurança europeia”, ameaçada pelo “arco de instabilidade do Mediterrâneo até ao Médio Oriente”. Daí a importância da NATO, a aliança sob comando USA que Conte define como “pilar da segurança interna e internacional”.

Distorção completa da realidade. Fundamentalmente, foi a estratégia USA/NATO que provocou “o arco de instabilidade” devido:

Ø  às duas guerras contra o Iraque,

Ø  às outras duas guerras que demoliram os Estados jugoslavo e líbio,

Ø  à guerra destinada a demolir o Estado sírio.

A Itália, que participou em todas estas guerras, segundo Conte, desempenha “um papel fundamental para a segurança e a estabilidade do flanco sul da Aliança”. De que maneira? Percebe-se pelo que  a comunicação mediática esconde.

O navio Trenton da Marinha dos EUA, que recolheu 42 refugiados (autorizados a desembarcar em Itália, ao contrário dos do Aquarius), não está estacionado na Sicília para realizar acções humanitárias no Mediterrâneo: é uma unidade rápida (até 80 km/h), capaz de desembarcar em poucas horas na costa norte-africana um corpo de 400 homens e veículos relacionados.

Forças especiais USA operam na Líbia para treinar e liderar formações armadas aliadas, enquanto os drones armados USA, decolando de Sigonella, atacam alvos na Líbia.

Em breve, anunciou Stoltenberg, também os drones da NATO começarão a funcionar a partir de Sigonella. Vão integrar-se no “Centro de Liderança Estratégica da NATO para o Sul", um centro de serviços secretos para as operações militares no Médio Oriente, Norte da África, Sahel e África subsaariana. O Centro, que ficará operacional em Julho, está sediado em Lago Patria, no Comando Conjunto da Força da NATO (JFC Nápoles), sob o comando de um almirante americano - actualmente James Foggo - que também comanda as Forças Navais USA na Europa (com sede em Nápoles-Capodichino e a Sexta Frota estacionada em Gaeta) e as Forças Navais USA para a África.

Essas forças estão integradas pelo porta-aviões Harry S.Truman, que entrou no Mediterrâneo com o seu grupo de ataque há dois meses. No dia 10 de Junho, enquanto a atenção mediática estava concentrada no Aquarius, a frota USA  com mais de 8.000 homens, armados com 90 caças e mais de 1000 mísseis, foi posicionada Mediterrâneo Oriental, pronta para atacar a Síria e o Iraque.

Nesses mesmos dias, 12-13 de Junho, o Liberty Pride, um dos navios militares dos EUA, fazia escala em Livorno, embarcando nas suas 12 pontes outra carga de armas que, da base americana de Camp Darby, são enviadas mensalmente para a Jordânia e para a Arábia Saudita, destinadas às guerras na Síria e no Iémen. Assim, alimentam-se as guerras que, juntamente com os mecanismos de exploração neocolonial, provocam o empobrecimento e a erradicação das populações.


Reconhecimento legítimo da parte dos Estados Unidos, que no programa do actual Governo, os define como sendo o “aliado privilegiado” da Itália.

il manifesto, 19 de Junho de 2018



NO WAR NO NATO

PORTUGUÊS
GUERRA NUCLEAR: O DIA ANTERIOR
De Hiroshima até hoje: Quem e como nos conduzem à catástrofe


Tradutora: Maria Luísa de Vasconcellos

No comments:

Post a Comment

TRIBUTE TO A PRESIDENT


NA PRMEIRA PESSOA

Um auto retrato surpreendentemente sincero do Presidente da Rússia, Vladimir Putin

CONTEÚDO

Prefácio

Personagens Principais em 'Na Primeira Pessoa'

Parte Um: O Filho

Parte Dois: O Estudante

Parte Três: O Estudante Universitário

Parte Quatro: O Jovem especialista

Parte Cinco: O Espia

Parte Seis: O Democrata

Parte Sete: O Burocrata

Parte Oito: O Homem de Família

Parte Nove: O Político

Apêndice: A Rússia na Viragem do Milénio


DANIELE GANSER

contaminação nos Açores



Subtitled in EN/PT

Click upon the small wheel at the right side of the video and choose your language.